Tribunal do Júri de Guarapuava condena prefeito que mandou matar procurador. OAB-PR acompanhou o caso desde o início

27/10/2021

O ex-prefeito de Chopinzinho, Leomar Bolzani, foi condenado a 19 anos e 3 meses de prisão pelo assassinato do procurador municipal Algacir Teixeira de Lima em 2015. O ex-prefeito foi condenado por homicídio duplamente qualificado: motivo torpe e impossibilidade de defesa da vítima. O julgamento terminou na tarde desta quarta-feira (27/10), no Tribunal do Júri de Guarapuava.

“Esse é um caso muito triste e emblemático, foi uma covardia praticada por uma autoridade que deveria primar pela transparência da gestão pública, pela ética e pelo respeito aos seus assessores. O colega Algacir era reconhecido pela retidão de caráter, por cumprir seu ofício de procurador rigorosamente dentro da legalidade. Lamentavelmente pagou pela excelência de seu trabalho, com a própria vida. A OAB-PR sente-se satisfeita com a sentença, que reconheceu a conduta delituosa do réu, aplicando-lhe a pena privativa de liberdade”, declarou o presidente da OAB Paraná, Cássio Telles.

O ex-prefeito foi acusado de ser o mandante do crime. Os demais envolvidos já foram julgados e condenados. Em junho de 2016 foram condenados a 15 anos os réus Elvi Aparecida Haag Ferreira e Nilton Ferreira, considerados intermediários na contratação dos atiradores. Em dezembro de 2017, o então assessor do ex-prefeito, Geovane Baldissera, foi condenado a 20 anos de reclusão. No mesmo julgamento, o atirador Darci Lopes de Aquino recebeu a pena de 16 anos e 6 meses de reclusão, e os dois co-autores, os irmãos João e Jéferson Rosa do Nascimento, foram sentenciados, respectivamente, a 15 anos e 10 anos de prisão.

“Este foi um caso da mais grave violação das prerrogativas de um colega nosso, pois ele perdeu a vida, em nome do exercício profissional independente e dedicado à legalidade. Nós sentimos muito a morte do Dr. Algacir, mas de certa forma, como profissionais, estamos confortados com a punição do mandante desse bárbaro crime. Lutamos sempre pelo respeito à advocacia e sobretudo pela preservação da incolumidade física de nossos colegas. Nesse caso temos que parabenizar a atuação da Polícia Civil, que muito rapidamente elucidou o crime e formou um robusto conjunto probatório, que respaldou a condenação”, destacou o diretor de Prerrogativas da OAB Paraná, Alexandre Salomão, que acompanhou todo o julgamento, ao lado da vice-presidente da seccional, Marilena Winter, do presidente da Comissão de Defesa das Prerrogativas, Andrey Salmazo Poubel, e do procurador de prerrogativas Wellington de Almeida.

O crime e a assistência da OAB

O procurador municipal Algacir Teixeira de Lima foi morto na tarde do dia 16 de março de 2015, em frente à sua residência, diante de suas duas filhas, na época com 3 e 7 anos. Ele foi conselheiro da OAB Pato Branco e também integrou a diretoria da subseção. Quando foi assassinado, exercia o cargo de procurador do município de Chopinzinho.

As investigações logo apontaram que a motivação tinha ligação com o exercício profissional, pois Bolzani e Baldissera vinham sendo alvos de investigação do Ministério Público por irregularidades administrativas denunciadas pelo procurador.

Desde o início, a OAB Paraná se mobilizou, pedindo às autoridades agilidade e rigor nas investigações. O trabalho da polícia, segundo Cássio Telles, que na época era vice-presidente da seccional, foi exemplar. O crime foi elucidado em menos de 72 horas com a prisão dos envolvidos.

A OAB continuou acompanhando o inquérito, nomeando as advogadas Viviane Brisola e Caroline Spader como assistentes de acusação, tendo em vista que o crime se deu em razão do exercício da profissão e se trata de uma ofensa à liberdade da advocacia. O fato mereceu repercussão nacional, inclusive no Conselho Federal da OAB, por se tratar de gravíssimo caso de violação das prerrogativas.

Relembre a atuação da OAB: 

OAB Paraná lamenta o falecimento do advogado Algacir Teixeira de Lima

Advogados cobram rigor na apuração do assassinato do Procurador do município de Chopinzinho

OAB acompanha de perto as investigações da morte de procurador em Chopinzinho

OAB enaltece trabalho da polícia na apuração do assassinato do advogado Algacir Teixeira de Lima

OAB atuará como assistente de acusação no caso do assassinato do procurador de Chopinzinho

OAB acompanha júri do caso do advogado assassinado em Chopinzinho

Condenados a 15 anos assassinos do advogado Algacir Teixeira de Lima

Condenados mais quatro acusados pelo assassinato de advogado público

OAB-PR