Testemunhas poderão ser ouvidas por videoconferência

29/04/2019

O Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) enviou às comarcas do estado os equipamentos necessários para tomar depoimentos de testemunhas por videoconferência. A ideia, que atende proposta apresentada pela diretoria OAB Paraná formulada à presidência do TJ-PR em reunião realizada em fevereiro, é que nas audiências de cartas precatórias o próprio juízo deprecante realize a inquirição à distância.

Para discutir o aprimoramento e a expansão do sistema de videoconferência, o presidente do TJ-PR, desembargador Adalberto Xisto Pereira, designou um grupo de trabalho formado por magistrados, advogados, integrantes do Ministério Público do Paraná, representantes da Procuradoria-Geral do Estado, defensores públicos e ainda por um representante do Departamento de Tecnologia da Informação e Comunicação (DTIC) do tribunal.

Composição

A advocacia será representada por Alexandre Salomão, diretor de prerrogativas da OAB Paraná; Andrey Salmazo Poubel, presidente da Comissão de Defesa das Prerrogativas Profissionais; e Edward Fabiano Rocha de Carvalho, presidente da Comissão da Advocacia Criminal. Também integram o grupo os juízes auxiliares Otávio Rodrigues Gomes do Amaral (coordenador) e Davi Pinto de Almeida; os promotores André Tikago Pasternak Glitz e Maurício Cirino dos Santos; os procuradores públicos Guilherme Soares e Roberto Altheim; os defensores públicos André Ribeiro Giamberardino e Júlio Cesar Dualibe Salem Filho e, representando o DTIC Rolf Mertens Junior.

“Isso também poderá servir para interrogatórios de réus presos, o que será discutido no grupo de trabalho. No futuro, também a depender dos estudos, a adoção da tecnologia permitirá a realização de audiências remotas até mesmo por advogados”, destaca Cássio Telles, presidente da OAB Paraná.