Novo edifício da Caixa de Assistência do PR receberá o nome do professor René Dotti

29/08/2021

O novo edifício da Caixa de Assistência dos Advogados do Paraná, que começou a ser construído na R. Brasilino Moura, em frente à sede Accioly Neto, no bairro Ahú, receberá o nome do professor René Ariel Dotti. O anúncio foi feito pelo presidente da CAA-PR, Fabiano Baracat, na sessão do Conselho Pleno desta sexta-feira (27/8).

O prédio será uma extensão da Caixa de Assistência, cujas instalações estão na própria sede da OAB Paraná, no Edifício Maringá no centro de Curitiba e futuramente neste novo espaço. O projeto nasceu na gestão anterior da CAA-PR, sob a presidência do atual conselheiro federal Artur Piancastelli. A edificação terá uma área de eventos , um coworking, salas para cursos, entre outras destinações.

“Não há orgulho maior do que emprestar o nome do professor René Dotti para nominar esse belíssimo prédio, nesse bairro onde ele nasceu. É uma homenagem adequada, justíssima, e quem se sente homenageada é a própria advocacia. Eu disse, no plenário do Conselho Federal no início desta semana, que nós paranaenses temos um imenso orgulho de integrar a seccional que foi escolhida pelo professor para iniciar a sua linda trajetória como advogado. Foi um homem múltiplo, com muitas qualidades, mas a maior de todas foi sem dúvida a advocacia”, destacou o presidente da OAB Paraná, Cássio Telles.

Emocionada, a advogada Rogéria Dotti, filha do professor René, agradeceu a homenagem em nome da família. “Ainda estamos num momento de luto, mas são atitudes como essa que nos trazem alento. Meu pai amava a advocacia, teve uma vida plena, mas acima de tudo nos ensinou a ser solidários com a dor do outro. Advocacia é acolhimento, escuta e solidariedade, dizia ele. Mas é preciso agregar à solidariedade a coragem e a luta”, disse Rogéria Dotti.

A família acompanhou a homenagem de forma presencial e remota. Por vídeo, a viúva Rosarita Dotti também agradeceu: “Quero dizer da nossa alegria por essa homenagem. Foram 52 de convivência e companheirismo. Essas homenagens diminuem a nossa dor pela ausência física dele”, declarou.

OAB-PR