Líder de quadrilha que sequestrou gerente de banco e família é condenado

05/03/2019

  O líder de uma quadrilha que fez família de gerente de banco refém para obrigá-lo a roubar agência foi condenado a 15 anos e nove meses de reclusão, em regime inicial fechado. A decisão é da 17ª Vara Criminal Central.

        A vítima foi abordada por dois assaltantes quando voltava do trabalho, por volta das 20 horas. Ao encostar seu veículo em frente à residência, os homens bateram com a arma no vidro e anunciaram o assalto. Entraram na casa, onde estavam sua filha e seu genro, que foram amarrados no sofá. Disseram que iriam aguardar outro membro do grupo, que seria o chefe da quadrilha (o réu do processo) e iria passar as instruções.

        Ao raiar do dia todos saíram. A filha e o genro foram levados pelo chefe do bando e os outros dois assaltantes acompanharam o gerente no carro dele até as proximidades do banco, onde desceram e avisaram que em breve ele receberia as instruções.

        Quando o gerente entrou na agência para pegar o dinheiro, seus colegas desconfiaram, pelo horário e porque trazia uma mala consigo. A polícia e a segurança bancária foram então acionadas. Percebendo a movimentação na porta da agência, os assaltantes desistiram do plano, mas a câmera de segurança da rua gravou a imagem da placa do veículo do chefe do bando, que o levou a ser preso e reconhecido pela filha e genro da vítima, tanto pelo carro que usou para sequestrá-los como por fotografia.

        Em sua decisão, a juíza Fátima Vilas Boas Cruz julgou a ação procedente. Para ela, os fatos ficaram devidamente comprovados, uma vez que as vítimas reconheceram o acusado sem nenhuma dúvida, “como aquele que entrou na residência e deu instruções de como seria o roubo e a entrega do dinheiro do banco”. Um dos outros participantes no crime teve o processo desmembrado e o terceiro não foi identificado.         

        Cabe recurso da decisão.

 

        Processo nº 0052442-94.2017.8.26.0050