Familiares de vítimas de incêndio desistem de mediação com Flamengo

21/02/2019

Terminou sem acordo a primeira audiência de mediação promovida pelo Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) com os representantes das famílias dos 10 atletas que morreram e de outros três feridos no incêndio no Centro de Treinamento Ninho do Urubu, no dia 8 de fevereiro, e os advogados do Clube de Regatas Flamengo. A audiência foi realizada nesta quinta-feira, dia 21.

O Flamengo queria realizar a mediação de forma individual, com cada família, mas os parentes e representantes das vítimas discordaram e decidiram não participar da continuação da audiência, que aconteceria nesta sexta-feira, às 14 horas, também no TJRJ.

O presidente do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Nupemec), desembargador Cesar Cury, lamentou que as partes não tenham chegado a um acordo.

“O Tribunal aceitou o pedido do Flamengo e instaurou o processo de mediação. Na audiência de hoje os representantes do clube apresentaram aos familiares presentes, assim como aos representantes das vítimas, a proposta de como o clube gostaria de negociar, mas ela não foi aceita e os familiares decidiram encerrar a mediação”, explicou o desembargador.