“A OAB trabalha e trabalhará pela liberdade de imprensa como pilar da democracia”, diz Santa Cruz

04/05/2019

O presidente nacional da OAB, Felipe Santa Cruz, proferiu o discurso de abertura do ato organizado pela Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo), pelo Consulado dos Estados Unidos em São Paulo e pela Faculdade Armando Alvares Penteado (FAAP) para celebração do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa. Em sua fala, o presidente da Ordem defendeu a liberdade de imprensa como condição fundamental para a democracia. Durante o ato, Santa Cruz fez ainda o lançamento formal do Observatório Nacional da Liberdade de Imprensa e de Expressão, iniciativa da OAB em parceria com a Abraji.

“A OAB trabalha e trabalhará pela liberdade de imprensa como pilar da democracia”, disse Santa Cruz. “Esta é uma data muito importante para a democracia. Temos visto em diversas partes do mundo a liberdade de imprensa sob ataque, inclusive em nosso país. O Brasil ocupa a 105ª posição no ranking que reúne 180 países e mede a liberdade de imprensa. A OAB sabe e defende que não há democracia plena e liberdade sem a liberdade de imprensa”, acrescentou o presidente da OAB, que destacou preocupação especial com a situação das mulheres jornalistas e o uso das redes sociais como espaço de ódio que busca limitar o debate e a manifestação de um pensamento plural.

Santa Cruz citou ainda o patrono da advocacia brasileira ao falar sobre a celebração. “A palavra livre, dizia Rui Barbosa, é capaz de transformar o mundo e derrotar o autoritarismo. Ela tem essa força. Para isso, precisamos garantir que a liberdade de imprensa seja uma realidade no nosso país. Por isso, estou aqui em São Paulo lançando o Observatório Nacional da Liberdade de Imprensa e de Expressão. É uma iniciativa da OAB com a Abraji para que possamos de maneira contínua, no cotidiano, defender a liberdade de imprensa. Saudamos, portanto, a liberdade de imprensa e a democracia”, afirmou o presidente da OAB.

“O Dia Mundial da Liberdade de Imprensa é uma oportunidade única não apenas de jornalistas, mas de outros agentes da sociedade, como por exemplo a OAB, conversar sobre como defender a liberdade de imprensa e como fazer com que esse pilar da democracia seja reconhecido como tal no conjunto da sociedade. O debate que realizamos aqui foi importante para construir consensos e tirar dúvidas num ambiente que tem sido desafiador. Os ataques virtuais são também um desafio. Na era digital, temos de estar ainda mais vigilantes porque temos jornalistas sendo atacados nas redes sociais apenas por fazerem o que lhes compete”, declarou Guilherme Amado, vice-presidente da Abraji.

O ato em celebração do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa contou ainda com o apoio da OAB, da ANJ (Associação Nacional de Jornais), Abert (Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão), Instituto Palavra Aberta, Projor (Instituto para o Desenvolvimento do Jornalismo) e RSF (Repórteres Sem Fronteiras).